O que fazer e não fazer nas negociações sobre a partilha de dados

As recomendações formuladas no quadro «o que fazer e o que não fazer» podem ajudar o registante a ter êxito nas negociações sobre partilha de dados.

 

O que fazer O que não fazer
Ser fiável, coerente e aberto em todas as negociações

Esperar que a outra parte faça o seu trabalho por si

Agir dentro dos prazos legais

Estabelecer um calendário não razoável para concluir as negociações

Conservar registos escritos de todos os passos das negociações, mensagens de correio eletrónico, chamadas telefónicas e reuniões

Divulgar informação confidencial ou comercialmente sensível

 Tratar a pessoa/empresa com a qual está a negociar da mesma forma que esperaria ser tratado

Ignorar os custos (tempo, recursos, etc.) envolvidos nas negociações

Ser claro e inequívoco sobre as informações que pretende

Atrasar o trabalho

Ser sensível à capacidade, dimensão e situação da parte que está a negociar consigo

Enviar sinais confusos

Responder rapidamente a todos os pedidos/perguntas/comunicações razoáveis

Ignorar as questões suscitadas

Conceder à outra parte um período de tempo justo e razoável para lhe responder

Negociar o preço sem considerar critérios objetivos

Basear as negociações nos dados e no seu valor

Avaliar de modo crítico todas as informações que receber durante as negociações

Ser concreto se não concordar com as propostas recebidas

Categories Display

Marcado como:

(clique na etiqueta para procurar conteúdo relevante)